Setembro Amarelo Mês de Prevenção ao Suicídio

Setembro Amarelo Mês de Prevenção ao Suicídio

O mês de setembro é o mês internacional de prevenção ao suicídio tendo como seu dia D o dia 10 de setembro. O Hospital Comunitário Sarandi recebeu no dia 14 de setembro a psicóloga Katchuska Raíssa Maier que abordou o tema através da palestra “Uma caminhada se inicia: Prevenção ao suicídio”, com o intuito de abordar o tema trazendo informações relacionadas as tentativas de suicídio e as estatistificas levando idade, sexo e métodos.

Segundo o que foi abordado pela psicóloga existe o chamado silêncio sobre o suicídio que envolve o desconhecimento, o medo, o preconceito, o incomodo e atitudes condenatórias, o indivíduo manifesta impulsividade e agressividade, desesperança(assim como enfraquecimento ou falta de razoes para viver), vergonha, segredo descoberto ou frustração e sentimento de vingança (ruptura amorosa).

Segundo Botega (2005) de cada 100 habitantes 17 tem pensamento de suicídio, 5 planejaram 3 tentaram e 1 realizou o ato de fato. Os principais fatores de risco incluem tentativa previa de suicídio: Pacientes que tentaram suicídio previamente tem de 5 a 6 vezes mais chances de tentar suicídio novamente. Estima-se que 50% daqueles que se suicidam já haviam tentado, outro fator de risco é a doença mental: quase todos os suicidas tinham uma doença mental, muitas vezes não diagnosticadas, não tratada ou não tratada de forma adequada.

As principais formas de suicídio entre homens em 1° lugar enforcamento e em 2° lugar arma de fogo e entre mulheres em 1° luga enforcamento e em 2° lugar ingestão de substâncias tóxicas. Segundos dados 50 % procuraram consulta médica nos 6 meses anteriores a morte, destes 80 % no mês anterior e 50% nunca foram a um profissional de saúde mental.

Além dos adultos o suicídio ocorre também na infância e na adolescência o sentimento de abandono, experiências de abusos físicos ou sexuais, desorganização familiar, desajustamento na escola ou em casa e a desesperança em relação ao futuro são alguns dos fatores que aparecem como motivadores.

Pesquisa feita a partir de dados do Centro de Informações Toxicológicas (CTI) revela que 4.658 crianças e adolescentes (dos oito aos dezessete anos) tentaram se matar no Estado entre 2005 e 2013 por autointoxicação, por sexo 899 meninos (19,3%) e 3759 meninas (80,7%) e por idade de 15 a 17 anos 3.184 (63,35%), de 12 a 14 anos 1.341 (28,81%) e de 8 a 11 anos 132 (2,83%), o que nos mostra que o suicídio não é algo exclusivo de adultos.

Durante a palestra foram ainda comentadas algumas frases de alerta normalmente ditas pelas pessoas que ideiam o suicídio frases como:

“Eu preferia estar morto”.

“Eu não posso fazer nada”.

“Eu não aguento mais”.

“Eu sou um perdedor e um peso pros outros”.

“Os outros vão ser mais felizes sem mim”.

A ideia de suicídio gira em torno de alguns sentimentos que são os 4 D depressão, desesperança, desamparo e desespero.

Segundo a OMS – Organização Mundial da Saúde, 90% dos casos de suicídio podem ser prevenidos, desde que existam condições mínimas para oferta de ajuda voluntária ou profissional. No Brasil o CVV – Centro de Valorização da Vida rede voluntária de prevenção atua neste sentido há mais de 50 anos.

Viver é a melhor opção sempre!

Setembro Amarelo Mês de Prevenção ao Suicídio.